Foto: Divulgação

7ª Copa Born to Fight acontece na próxima semana

Realizada desde 2015, a Copa Born to Fight chega à sua 7ª edição, que será realizada no dia 20 de novembro, na Asbac, com 200 atletas participando do evento aberto e outros 20 das lutas profissionais. O evento será das 10h às 16h, com as lutas principais marcadas para às 12h.

Além do evento esportivo, a Copa também se tornou uma ação de caráter educacional, por ser um laboratório para os estudantes de graduação e pós-graduação da área de saúde que atuam no controle de doping e assistência à saúde dos atletas; social, por apoiar a participação de jovens de projetos sociais; e científico, por meio da realização de uma pesquisa junto ao Programa de Iniciação Científica do CEUB, que envolve um estudo das estratégias para recuperação muscular em lutadores.

Nas outras seis edições, mais de 1.500 atletas amadores participaram da Copa Born to Fight, dentre eles, atletas do UFC, como Paulo Thiago “Caveira”, Vinícius “Mamute”, Viviane Araújo “Vivi” e Rani Yahya, No ano passado, devido à pandemia, o evento teve transmissão online, alcançando uma enorme audiência.

Marcio Oliveira é o idealizador e produtor do evento, coordena a pós-graduação em fisioterapia esportiva do CEUB, além de dar aulas no curso, e fundou o projeto social Clínica do Lutador. O professor é também faixa preta de jiu-jitsu, e foi campeão do ADCC Brasil 2014. Juntando a profissão e o esporte, Marcio atuou como fisioterapeuta da Seleção Brasileira de Judô e em eventos internacionais como a Copa das Confederações, Copa do Mundo, Copa América, Jogos Olímpicos e UFC Brasília.

Ao DFSports+, Marcio falou sobre a criação da Copa Born to Fight: “A ideia veio da necessidade de desenvolvimento de ações que envolvessem ciência, educação e assistência social, para que a gente pudesse ampliar a visão dos atletas diante do cenário que nós encontrávamos no DF, e para que a modalidade pudesse crescer”, finalizou.

Foto: Reprodução/Instagram

Sobre esta edição do evento, Marcio afirmou que a expectativa é a melhor possível. “Estamos retornando após o pior período da pandemia com uma estrutura muito melhor, com muitas ações, já prontos para um novo ciclo de trabalho, já vivendo esse novo momento, que será um ciclo muito melhor do que o que a gente teve agora”, completou o organizador da Copa Born to Fight.

Quem quiser acompanhar o evento, poderá adquirir ingresso por meio do Sympla. Será necessário mostrar o comprovante de vacinação, e a temperatura será aferida no local. Além disso, o uso de máscara, espaçamento de horários das categorias e higienização frequente das mãos com álcool 70% serão obrigatórios.

Doping

A Copa Born to Fight é o único evento de lutas da capital federal e a única de jiu-jitsu no Brasil que realiza o controle de doping nos atletas. Além dos exames, a ação de controle é complementada por ações educacionais que ressaltam os valores do esporte e os efeitos prejudiciais das substâncias no corpo dos atletas.

Protocolos de segurança

O evento seguirá os protocolos de prevenção e combate à covid-19. Atletas e staff que não estiverem vacinados, deverão fazer teste RT-PCR até 48h antes do evento. Além disso, todos passarão por avaliação clínica por meio de Inquérito Epidemiológico e controle de temperatura.

Camila Bairros

Jornalista pós-graduada em jornalismo digital. Escrevo sobre o esporte candango e nas horas vagas assisto mais futebol

Camila Bairros tem 235 posts e contando. Ver todos os posts de Camila Bairros

Camila Bairros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *