Sem Drama! Brasília Vôlei vence fácil e sobe para a Superliga A

Após a vitória suada de ontem (10) e a derrota de quinta (8), a equipe masculina da capital jogou contra o Anápolis, na tarde deste domingo (11), para definir quem seria o outro finalista e, consequentemente, garantiria sua vaga na próxima temporada Superliga.

Em um jogo amplamente dominado pelo time candango, a vitória veio tranquila, por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/20 e 25/18 e o Brasília garantiu o acesso para a elite nacional. Os brasilienses são os primeiros a subir de divisão e enfrentarão o vencedor de JF Vôlei (MG) x Unimed/Aero (RN) – os mineiros saíram na frente vencendo o primeiro duelo – na grande final da Superliga B.

O troféu Viva Vôlei desta tarde foi para o ponteiro Lucaian, eleito o melhor em quadra, o atleta se destacou com excelentes paralelas no duelo. O atleta comemorou o resultado: “A sensação é de dever cumprido, treinando desde setembro, esse momento chegou e conseguimos fazer o que o técnico propôs, o que facilitou muito o jogo de hoje. É muita felicidade”.

Além dele, os centrais Dutra e Rubbo tiveram participação fundamental no ataque do Brasília Vôlei, sempre bem municiados pelo levantador Paulo, que, novamente, teve grande atuação. Dutra foi outro a conversar com a equipe de reportagem e celebrar a vitória de hoje:

Ontem já esperávamos um jogo muito duro e era tudo ou nada para nós. Eles têm uma equipe qualificada, com muita experiência, mas a força do nosso grupo fez a diferença e soubemos ponderar os erros de ontem para sairmos vitoriosos hoje, o bom trabalho fez a diferença. Graças a Deus estamos garantidos na elite, agora é aguardar e o que vier vai ser pedreira, mas queremos sair com o gostinho de ouro, esse grupo merece demais.

Do lado goiano, os melhores em quadra foram os ponteiros João Rosa e Arthur, com o líbero Matheus auxiliando na defesa e evitando uma derrota mais estrondosa. O levantador Everaldo começou bem a partida, mas com uma recepção ruim da sua equipe, cometeu erros e não conseguiu auxiliar para a virada.

Depois de duas partidas muito equilibradas no início da série melhor de três, era de se esperar que a de hoje seguisse nessa linha. Apesar de um início difícil e de muitos momentos equilibrados, com trocas de pontos, o time da capital se impôs do início ao fim, dominando, principalmente os dois últimos sets, e conseguindo o tão sonhado acesso. Com direito a muita comemoração depois do último ponto.

Primeiro, quero agradecer à gestão, por todo apoio da nossa equipe e aos atletas que estão desde setembro trabalhando para conseguir esse acesso. Um resultado histórico para Brasília, com duas equipes na superliga A. Nós esperávamos essa dificuldade, a Superliga B estava muito parelha, com todas as equipes em alto nível. Vamos nos preparar para a final, vamos fortes para conquistar esse título, qualquer time que vier estamos preparados, nossa meta é o título.

Marcelo Thiessen, técnico do Brasília Vôlei

O jogo

Primeiro set

Os goianos abriram fazendo os dois primeiros pontos e então as equipes ficaram trocando bolas no chão do adversário, com alguns erros e diversos ataques efetivos. O Brasília conseguiu uma virada após Dutra aproveitar bola de cheque e marcar 11/9.

O técnico Ricardo Picinin chegou a pedir tempo e quebrar o ritmo dos anfitriões, virando para 12/11 depois de uma marcação de invasão de Kelvin – que não chegou a pisar na linha – e de um bloqueio de Vini. Porém, Lucaian fez um belo ponto, começou a sacar – com direito a dois aces – e os brasilienses deslancharam abrindo 16/13.

Outra parada do treinador goiano, novamente quebrando o ritmo candango, fazendo o Anápolis encostar de novo, 16/15, mas depois de um rali incrível, Kelvin colocou a bola no chão adversário, 18/15, e abriu o caminho para a vitória do Brasília Vôlei na primeira parcial: com trocas de pontos o time da capital fechou em 25/21 com belo ataque de Lucaian.

Segundo set

O jogo voltou com o equilíbrio ditando o ritmo, ponto lá, ponto cá, destaque para o belo rali no oitavo ponto do período, finalizado com Lucaian explorando o bloqueio goiano. Naquela altura o placar estava empatado, 4/4, e seguiu assim até que o Brasília fez três pontos seguidos, em dois erros do adversário e um ace do Kelvin, para marcar 13/10 e forçar Ricardo Picinin a pedir uma parada técnica.

Dessa vez não funcionou, Alex mandou uma diagonal forte e fez um “semi” ace – o ponto veio quando Everaldo tocou na rede, mas foi graças ao forte saque do ponteiro. Dessa forma, os candangos abriram 16/12 e o treinador goiano solicitou outro tempo, que fez efeito: com aces de João Rosa e Vini, além de erros brasilienses, a desvantagem caiu para 18/17.

Nada que abalasse o Brasília Vôlei, que engatou três pontos seguidos, com direito a Rubbo finalizando um rali de tirar o fôlego – foram 40 segundos antes da bola tocar o chão – e ainda ampliou a vantagem para fechar a parcial em um erro de Everaldo, que cometeu a infração dos dois toques: 25/20.

Terceiro set

Os candangos não voltaram para brincadeira, para evitar uma repetição do roteiro de ontem os atletas da casa entraram para jogar o período com sangue nos olhos, fazendo dois bloqueios logo de cara – com Rubbo e Kelvin – e contando com erros goianos, eles conseguiram colocar 8/4 no placar e fazer Ricardo Pincini pedir mais um tempo técnico.

O Anápolis chegou a esboçar um reação, porém o Brasília mostrou nervos de aço para se manter em vantagem, demonstrando ter aprendido com os erros dos últimos dois jogos: com um saque potente, o time anfitrião quebrou a recepção adversária e capitalizou pontos importantes com ataques provindos de erros goianos, bloqueios e com os próprios pecados dos visitantes chegando a colocar 15/9 no placar.

Com provocações, o Anápolis tentou desestabilizar os brasilienses, mas o plano não funcionou e o Brasília administrou sua vantagem, trocando pontos com o adversário até matar o set, o jogo, a classificação e o acesso com uma diagonal do Kelvin explorando o bloqueio: 25×18. Depois do ponto, os atletas vibraram muito, comemoração que continuou durante e após as entrevistas.

Ficha técnica

BRASÍLIA VÔLEI/UPIS 3×0 ANÁPOLIS VÔLEI
25/21, 25/20 e 25/18

Brasília Vôlei

Paulo L./Alex, Rubbo/Dutra, Kelvin/Lucaian. Líbero: Matheus S.
Entrou: Índio.
Técnico: Marcelo Thiessen.

Anápolis Vôlei

Everaldo/Henrique, Vini/Alberto, Rodrigo/João Rosa. Líbero: Matheus.
Entraram: Arthur, Luquinhas, João Vítor e Dionata.
Técnico: Ricardo Picinin.

Lucas Bohrer

Jornalista esportivo formado em Comunicação Organizacional pela UnB. Viciado em acompanhar esportes e fascinado pela ideia de poder dar mais visibilidade a modalidades geralmente esquecidas.

Lucas Bohrer tem 71 posts e contando. Ver todos os posts de Lucas Bohrer

Lucas Bohrer

Um comentário em “Sem Drama! Brasília Vôlei vence fácil e sobe para a Superliga A

  • Avatar
    11 de abril de 2021 em 20:15
    Permalink

    Karaka, que legal o Brasília Vôlei participar da super liga A, finalizou a classificação com 3 seta a 0.👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *