Um sonho chamado Tóquio

O ano de 2020 foi de grandes feitos para a velocista Vida Aurora. A brasiliense conseguiu fazer marcas importantes nos 100m e nos 200m, deixando ela entre as cinco melhores do país e com grandes chances de representar o Brasil nas Olímpiadas de Tóquio.

Depois de ter passado o período de isolamento social, Vida Aurora intensificou os treinos, e diariamente a pista no Recanto das Emas tinha a sua presença e a do seu treinador e pai, Manuel Evaristo, o Vava. Tudo para cumprir o calendário da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT), que modificou as datas diversas vezes por causa da pandemia e realizou diversos eventos nos dois últimos meses do ano passado.

No início de novembro, Vida Aurora foi para Bragança Paulista disputar o Brasileiro sub-20, e trouxe na bagagem dois ouros: nos 100m (11s68) e nos 200m (24s05), além de ter sido eleita a melhor atleta da competição. Em dezembro, ela embarcou para a capital paulista, onde ao lado de feras do atletismo nacional como Vitória Rosa, Rosangela Santos e Carolina Azevedo, não se intimidou, e foi para a final das provas que estava inscrita.

Foto: divulgação

Para encerrar 2020, nas vésperas do Natal, a jovem voltou a competir. Desta vez pelo Brasileiro sub-23, novamente em Bragança Paulista. Os resultados foram excelentes, com 11s52 nos 100m, o que lhe rendeu a medalha de prata, e 23s62 nos 200m, que a deixou na segunda colocação.

Com a aproximação das Olímpiadas de Tóquio, a atleta sonha com a ida, e sabe que as suas marcas transformaram a possibilidade em realidade.

O Japão está a um passo, basta a gente trabalhar direito. Quando a gente consegue se colocar entre as cinco do país na categoria adulto sendo um pouco mais jovem, a gente tende a sonhar um pouco mais. E esse sonho não é impossível basta a gente confirmar essas marcas seja no revezamento ou seja no individual para que a gente possa representar o Distrito Federal e o Brasil nas Olímpiadas.

Vida Aurora

E para 2021, antes de realizar o sonho, Vida Aurora terá um camping com as principais atletas do Brasil em São Paulo, de 27 a 31 de janeiro, e precisa ser convocada para partircipar do Mundial de Revezamento, que será realizado em maio na Polônia, e do Sul-Americano Individual, em Buenos Aires.

Rafael Moura

Jornalista formado em Brasília desde 2007, Rafael Moura milita no jornalismo esportivo. Passou pelas principais redações da capital federal, foi assessor de imprensa do Ministério do Esporte, do Comitê Paraolímpico Brasileiro. Hoje atua na Câmara dos Deputados e colabora com o site esportivo que mais cresce no Distrito Federal

Rafael Moura tem 27 posts e contando. Ver todos os posts de Rafael Moura

Rafael Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *