Jovem do DF ganha espaço em Minas Gerais

Por Pedro Breganholi

Foto: Flickr/Atlético-MG

O futebol do Distrito Federal pode até não estar passando um bom momento, com vários problemas nos bastidores e sem nenhum time nas principais divisões do país. Mas, independente disso, a capital do país continua a produzir e exportar talentos para times Brasil afora e internacionais. Depois de Lúcio, Kaká, Jean (hoje no Vasco) e tantos outros, um candango está chamando a atenção nas categorias de base do Atlético-MG. Trata-se de Carlos Gabriel Moreira de Oliveira, ou apenas Gabriel.

Nascido em Brasília e criado em São Sebastião, Gabriel começou no futebol logo cedo, aos oito anos de idade, na escolinha do Aliança e do São Sebastião. Até que, Glauber, um de seus professores à época, o levou para a escolinha do Santos, aqui mesmo em Brasília. Alguns anos depois, aos 12 anos de idade, o mesmo Gláuber o levou para fazer teste no Esporte Clube Bahia, onde foi aprovado, jogando como meia esquerda. “Comecei no meio de campo, mas ao longo da carreira os treinadores viram que eu era muito rápido e tinha bastante força física. Com isso, recuei para a lateral esquerda”, conta o jogador.

No clube baiano ele se destacou ao disputar uma competição no interior do estado. Assim, acabou sendo visto pelos olheiros do Fluminense, um dos clubes que mais revela jogadores no país. Infelizmente, Gabriel conta que no tricolor carioca não teve muito espaço para mostrar seu futebol e acabou deixando o clube. Mas, para quem acha que a carreira do jovem lateral começou a declinar a partir daí, se engana. Gabriel foi contratado pelo Atlético Mineiro, e já integra a base do clube há dois anos. “Aqui tenho jogado bastante. Existe um revezamento na equipe, devido a idade de cada um, mas tenho conseguido uma sequencia boa. Joguei, por exemplo, dois clássicos contra o Cruzeiro e vencemos os dois. Esse ano não tenho do que reclamar”, ressalta Gabriel.

O jovem jogador espera estar dando passos no time profissional do Galo em pouco tempo. “Quero ir para o profissional e me manter lá, jogar bem, de preferência aqui no Atlético-MG. Também gostaria de frequentar as seleções de base e quem sabe um dia a seleção principal. Mas o que eu mais quero é fazer o que gosto. Isso é o mais importante pra mim”, revelou.

De todo o tempo em que está no time mineiro, Gabriel ainda não foi relacionado para nenhuma partida do time principal, mas já conquistou um contrato profissional com o clube. “Aqui a gente divide o CT com os profissionais e, vez ou outra, somos chamados para treinar com eles. Temos uma proximidade e uma ligação muito boa”, explica.

Para chegar a jogar ao lado de Fred, Victor e Leonardo Silva, por exemplo, Gabriel precisa manter a boa fase que vem vivendo. O jogador ajudou o time mineiro a conquistar a Copa do Brasil sub-20 e agora se prepara para mais dois jogos contra o rival Cruzeiro, pela Recopa, valendo uma vaga na Libertadores da categoria no próximo ano. “Como o Cruzeiro venceu o Brasileirão sub-20, nós faremos uma Recopa. As finais serão no dia 18, sábado e na terça, dia 21. Fizemos uma grande campanha esse ano e agora, é claro, queremos conquistar a vaga na Libertadores”, finalizou.

Aos 18 anos, os gramados locais hoje já se tonaram pequenos para o jogador que saiu daqui ainda pré-adolescente. A nossa torcida agora é para que Gabriel conquiste o Brasil e o mundo com seu talento e que continue sempre representando bem o nosso Distrito Federal Brasil a fora.

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2647 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *