Foto: arquivo pessoal

Formado nos gramados do DF, atleta projeta solidificar carreira na Europa

Nascido e crescido na região do Jardim Botânico, em Brasília, o goleiro Geraldo Coura, 20 anos, começa a projetar uma carreira sólida na Europa. O arqueiro atua há dois anos pelo Gramozi, da 3ª divisão da Albânia, e já está de malas prontas para se transferir para a Alemanha, onde defenderá o Herta Berlim B, da 4ª divisão.

Com passagem pelas categorias de base do Legião, Coura lapidou seu talento em escolinhas de futebol do Distrito Federal, como Oeste, de São Sebastião, e Boca Juniors, do Lago Sul. Fora da capital federal, o atleta defendeu o time José Bonifácio, de São Paulo, e fez parte de um projeto para revelar jogadores em Curitiba.

Em uma peneira realizada em 2019, o goleiro foi bem observado e recebeu o convite para atuar na Europa. Motivado com a oportunidade, ele embarcou em busca de realizar o sonho de se tornar atleta de futebol profissional, iniciando sua carreira na Albânia.

É um orgulho muito grande poder representar o nosso futebol em outros continentes. Poder levar nossa cultura e o estilo de jogo brasileiro gera uma responsabilidade especial

Goleiro Geraldo Coura

Adaptação e mudanças no estilo de jogo

Ao DFSports+, Geraldo contou sobre as dificuldades que teve após a chegada na Europa. “Eu precisava me virar com o auxílio de ferramentas como o Google Tradutor”, lembrou ele. Além da língua, o atleta apontou a grande diferença no clima como o maior empecilho na adaptação.

Conforme explicou ele, o estilo de jogo europeu exige mais treinamentos de bolas aéreas para goleiros e, diferente do futebol brasileiro, é praticado em campos com grama de alta qualidade, projetadas para otimizar a performance dos atletas. Apesar do pouco tempo de carreira em solo brasileiro, o arqueiro afirmou que aqui os treinos são mais direcionados para elasticidade e explosão.

“Aqui [na Europa], o futebol praticado requer um excelente preparo físico. No Brasil, o destaque fica por conta da qualidade técnica dos nossos jogadores”, ponderou Coura. “Talvez seja por isso que jogadores brasileiros têm tanto prestígio no futebol europeu. Aqui é possível aperfeiçoar a técnica e alinhá-la ao bom preparo físico”, ressaltou.

Geraldo Coura também revelou que sua projeção, em princípio, é permanecer na Europa até se aposentar. O atleta candango assevera que, como o continente europeu é considerado uma “vitrine” para jogadores de futebol, é possível fazer uma boa carreira.

Apresentação adiada

Após dois anos defendendo o Gramozi, Geraldo Coura acertou sua transferência para time alemão Herta Berlim B, com o contrato de um ano.  No entanto, sua apresentação ao novo clube ainda não foi concretizada em razão do lockdown estabelecido na Alemanha para conter a propagação da Covid-19.

Previsto para encerrar no último domingo (14), o confinamento com fechamento das fronteiras da Alemanha foi prorrogado pela terceira vez e deve ter fim apenas em 7 de março.

Braian Bernardo

Estudante de jornalismo, apaixonado por futebol e torcedor do esporte candango.

Braian Bernardo tem 15 posts e contando. Ver todos os posts de Braian Bernardo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *