Foto: Alan Rones

Brasiliense leva a melhor nos pênaltis e está na final da Copa Verde

Faltando 90 minutos para garantir a vaga na final da Copa Verde, o Brasiliense voltou a campo na tarde desta quarta-feira (18), pela partida de volta da competição nacional. Com 2×0 ao seu favor, o Jacaré jogava com o regulamento à seu favor, e após sofrer o revés no tempo normal, nos pênaltis, carimbou a vaga inédita para a final.

O primeiro jogo da decisão já está marcado para o próximo domingo (21), às 15h30, no estádio Serejão. O adversário é o Remo, que venceu o Manaus nesta quinta por 6×2.

O jogo

Em desvantagem, os goianos tentaram ocupar o campo de ataque nos primeiros lances dos jogos, mas rapidamente os comandados do técnico Vilson Tadei neutralizaram as investidas e tomaram o controle do meio de campo.

“Uma pintura, uma aquarela”

Com 13 minutos cronometrados no pulso do árbitro Dewson Freitas, a situação que já era favorável ficou ainda mais confortável para a torcida amarela. Zotti acionou Diogo na ponta direita, o lateral dominou e ajeitou para Badhuga cruzar com extrema eficiência na cabeça de Zé Love – 1×0 Brasiliense.

Foto: Alan Rones

No entanto, o Vila Nova não se abateu, e minutos depois, aos 25′, chegou ao gol de empate. Em cobrança de falta frontal, a poucos passos da meia lua da grande área, Alan Mineiro finalizou com precisão no ângulo de Edmar Sucuri – 1×1.

Aos 35’, o Vila Nova por muito pouco não chegou à virada. Após cobrança de escanteio, a defesa do Brasiliense não conseguiu aliviar o perigo. Na sequência, a bola sobrou para o zagueiro Nilson cabecear rente à trave direita de Sucuri.

Após o susto, os donos da casa voltaram a manter o controle na zona central e, assim, administraram até o final da primeira etapa.

Segundo tempo

Para a segunda etapa, o Jacaré voltou com o fôlego renovado. Tobinha e Peninha foram chamados. Em uma das primeiras descidas ao campo de ataque, aos quatro minutos, o camisa 16 abriu para Balotelli finalizar próximo ao travessão de Fabrício.

Aos nove, Balotelli fez nova jogada de ultrapassagem e cruzou para Zotti cabecear à direita da meta goiana.

Brilha, Sucuri!

No lance seguinte, os visitantes responderam as investidas do Brasiliense. Em bola enfiada, Henan saiu cara a cara com Sucuri. O camisa 9 finalizou, porém, com o pé direito, o guarda das redes amarela protagonizou um milagre.

Aos 20’, o confrontou ganhou ares dramáticos após o Vila Nova chegar à virada com novo gol de Alan Mineiro. Dessa vez, de pênalti.

Doze minutos depois, o Vila ampliou. Após bate rebate dentro da grande área, João Pedro ficou livre para bater com força no canto direto – 1×3 Vila Nova. Com o resultado, o encontro se encaminhou para a disputa de pênaltis.

Na marca da cal

Michel Platini abriu a disputa com uma cobrança perfeita no canto direito. Alan Mineiro, principal nome do jogo, também fez o dele. Balotelli e Dudu também não desperdiçaram suas cobranças – 2×2.

Quem abriu a terceira série de cobranças foi Sandy, que chutou no ângulo direito e, assim como Celsinho, balançou as redes. 3×3. Aldo, com calma, chutou no cantinho e marcou o quarto para o Jacaré.

Sucuri fez uma bela defesa e salvou o que seria o quarto gol do Vila Nova de pênalti, cobrado por João Pedro, autor do último gol com a bola rolando.

Para garantir a vaga na final, o Brasiliense precisava somente de mais uma cobrança perfeita, e ela veio dos pés de Tobinha, que não perdoou e marcou o dele. 5×3 nos pênaltis e vaga na decisão da Copa Verde.

Entrevista com o goleiro Sucuri ao final do jogo
Festa da torcida após o Brasiliense garantir a vaga na final da Copa Verde

Marcus Rodrigues

Estudante de jornalismo da Universidade Paulista (Unip). Repórter do portal Metrópoles. Comentarista esportivo. Idealizador da página @capitaldabola_ no Instagram. Integra a equipe do DF Sports+ desde julho de 2019

Marcus Rodrigues tem 121 posts e contando. Ver todos os posts de Marcus Rodrigues

Marcus Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *