Foto: Matheus Maranhão

Brasília brilha e vence a primeira em 2021

Vindo de mais uma derrota no NBB, o Brasília entrou na quadra da ASCEB na noite desta terça-feira (9), para se reabilitar na competição após a primeira semana de treinos com o time completo desde o início do torneio. Com um segundo quarto sensacional, a equipe candanga conseguiu vencer o Fortaleza (Basquete Cearense), que era o favorito, por 87×67, parciais de 19×17 / 30×11/ 21×23/ 17×16.

Com a vitória, o time brasiliense iguala a campanha do Caxias e mostra força para sair da lanterna do NBB, encerrando um jejum que vinha desde 13 de dezembro – vindo de nove derrotas seguidas.

O próximo jogo é o clássico do DF contra o Cerrado, novamente no ginásio da ASCEB, nesta quinta-feira (11) às 20 horas. Os cearenses tentarão retomar o caminho das vitórias, no mesmo local, às 17 horas contra a Unifacisa.

Ricardo Oliveira colocou o Brasília para começar com Nezinho, Samuel Yeager, Arthur, Gemerson e Caio Torres. Já o técnico Alberto Bial escalou o tricolor com Brite, Holloway, Rashaun, Sualisson e Mathias.

Dessa vez os candangos conseguiram iniciar bem a partida, sendo firmes na defesa, um dos pontos fracos da equipe no campeonato. Mas o grande diferencial no duelo desta noite foi o segundo quarto impecável do Brasília, a parcial de 30×11 foi determinante para vitória dos brasilienses.

O Fortaleza sentiu alguns desfalques e até tentou reagir, mas o time do DF conseguiu segurar a vantagem para sair de quadra vitorioso com uma das suas melhores atuações defensivas na temporada.

O armador Nezinho voltou a fazer a diferença para o Brasília, com 11 pontos e sete assistências. O ala Laster também contribuiu bem para o time, 11 pontos e oito rebotes.

Porém, os grandes destaques foram o pivô Caio Torres, 16 pontos e 11 rebotes, e o ala Samuel Yeager, 25 pontos e 10 rebotes, cada um conseguiu um duplo-duplo, quando o atleta alcança dois dígitos em dois fundamentos diferentes. Do lado cearense, o ala Holloway, 19 pontos, e o armador Brite, 18 pontos, foram os grandes destaques e responsáveis por mais de metades dos pontos da equipe do Fortaleza em quadra.

O jogo

Primeiro quarto

A primeira parte da partida começou muito equilibrada, com as equipes trocando pontos até o tricolor cearense abrir um pequena vantagem 13×9 no placar. Mas isso não abalou o Brasília, que tratou de converter três cestas em sequência para virar o jogo, 15×13.

O duelo seguiu equilibrado e o time da capital teve chance de abrir quatro pontos de frente antes do fim do período, porém Arthur errou o último arremesso e o placar ficou em 19×17.

Uma das chaves para o bom início de jogo dos brasilienses foi a atuação de Nezinho. Seus cinco pontos na parcial foram importantes para a equipe que vinha sentindo a falta de uma maior participação ofensiva do seu principal armador.

A outra foi Samuel Yeager que, como sempre, brilhou com nove pontos e três rebotes – foram 15 do Brasília no período contra cinco do seu adversário. Pelo Fortaleza, Holloway, Mathias e Rashaun – seis, seis e cinco pontos respectivamente – foram os únicos a pontuarem.

Segundo quarto

A volta para a quadra foi com o time do DF imprimindo um bom ritmo em quadra para ampliar em quatros pontos a sua vantagem logo no início. Não demorou muito para que os candangos aproveitassem um momento ruim do adversário cearense – com direito a discussão entre o técnico Bial e o pivô Mathias – para engatar uma sequência de bolas de três, incluindo dois arremessos de Caio Torres, e abrir 14 de diferença no placar: 39×25.

Com o Fortaleza desestabilizado, o Brasília ainda ampliou mais sua vantagem antes do fim da etapa, com outra cesta de três e Samuel Yeager aproveitando rebote em lance livre errado de Nezinho para fazer 49×28 antes do intervalo.

Caio Torres e Yeager, oito e sete pontos, comandaram a pontuação brasiliense, enquanto Holloway fez quase metade dos pontos tricolores no quarto: cinco. Neste quarto o Brasília acertou cinco bolas de três enquanto o Fortaleza não fez nenhuma. Outra discrepância foi, novamente, nos rebotes: 16 a 5 para o time do DF.

Caio Torres, que fez 10 pontos no primeiro tempo, comentou sobre a atuação do Brasília antes de ir para o vestiário. “Primeira semana que treinamos com o time completo, primeira semana que as coisas vêm dando certo e aproveitamos que eles estão com muitos desfalques. Mas ainda não acabou, sabemos da qualidade dos adversários, precisamos continuar defendendo bem e manter o bom aproveitamento no ataque para sair com a vitória”.

Terceiro quarto

O duelo voltou com o Brasília mostrando força e ampliando sua vantagem para 54×31 depois de um arremesso de três de Nezinho. Porém, o time de casa sofreu um pequeno apagão e a estrela de Brite, armador do Fortaleza, brilhou. O americano fez três cestas em sequência, duas do perímetro, e deu um belo toco em cima de Arthur – em sua quarta temporada no NBB, esse foi o sétimo toco do armador de 1,75m – com isso, o placar ficou em 54×41.

Arthur não se abalou com o bloqueio do adversário e logo depois converteu uma cesta e um arremesso de bonificação, porém o Brasília continuava precisando acordar para não perder a vantagem e o técnico Ricardo Oliveira parou o jogo para conversar com seus jogadores. A bronca do comandante surtiu efeito e os brasilienses engataram três ataques sequências para voltar a ter uma vantagem confortável: 63×43.

Depois disso os times trocaram pontos até o final do quarto, com vitória parcial dos candangos por 70×51. Com Yeager apagado no período, Arthur – seis pontos – comandou uma boa atuação coletiva do Brasília, fundamental para a manutenção da vantagem. O Fortaleza teve Brite como grande destaque, oito pontos, no único período que conseguiu fazer mais de 20 pontos.

Último quarto

A etapa final do jogo começou com o tricolor cearense vindo para cima em busca de outra virada heroica na quadra da ASCEB. O pivô Mathias enterrou uma bela bola logo no primeiro ataque e, apesar de dois lances livres de Yeager, os cearenses continuaram em cima, aproveitando os erros do Brasília, e engatando quatro ataques seguidos, novamente com o brilho de Brite, para cortar a diferença para 11 pontos: 72×61.

Isso fez com que Ricardo Oliveira pedisse um tempo técnico, a parada teve efeito imediato, os candangos conseguiram recuperar sua vantagem, marcando 79×61 no placar, e o Fortaleza esfriou, errando arremessos em sequência, mesmo com uma parada solicitada por Alberto Bial. Depois disso, os brasilienses controlaram sua vantagem, gastaram os 24 segundos de ataque com eficiência e marcaram bem para saírem vitoriosos por 87×67.

Com o jogo definido, a última etapa foi marcada por um grande rodízio de jogadores e menos pontos. Mesmo assim, Yeager e Brite continuaram se destacando com seis e oito pontos respectivamente. O período foi equilibrado nas estatísticas, mas novamente o Brasília foi superior nos rebotes.

Fim de jogo

Com a vitória, o Brasília teve a esperada reação no NBB em uma partida excelente – encerrando uma sequência de nove derrotas. Sem perder o ritmo e controlando o duelo durante todo o tempo, os candangos se reabilitaram na competição e podem sonhar com uma classificação aos playoffs se conseguirem manter esse nível nos 10 jogos finais do campeonato.

Depois da partida, o armador Pedrinho Rava falou sobre a boa atuação do time do DF nesta noite. “Melhor sensação possível, estávamos vindo de uma sequência muito ruim, mas somos batalhadores e continuamos unidos. Nós precisávamos melhorar a nossa defesa, temos a pior do campeonato, e hoje conseguimos fazer isso, sofremos apenas 67 pontos de uma das melhores equipes do NBB. Conseguimos ganhar moral antes do jogo importante com o Cerrado na quinta-feira. Agora vamos tentar engrenar para beliscar uma vaga nos playoffs“.

Lucas Bohrer

Jornalista esportivo formado em Comunicação Organizacional pela UnB. Viciado em acompanhar esportes e fascinado pela ideia de poder dar mais visibilidade a modalidades geralmente esquecidas.

Lucas Bohrer tem 38 posts e contando. Ver todos os posts de Lucas Bohrer

Lucas Bohrer

Um comentário em “Brasília brilha e vence a primeira em 2021

  • Avatar
    10 de fevereiro de 2021 em 09:08
    Permalink

    Espero que Brasília e Cerrado passem para os playoffs, tarefa mais difícil pro Brasília que vinha de muitas derrotas.
    Gostei da expressão duplo-duplo, que eu desconhecia!👍🏻

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *