Piloto brasiliense é o atual campeão brasileiro de Drift

Brasília conquistou mais um título de projeção nacional, dessa vez representado pelo piloto de Drift, Gustavo Koch. O brasiliense venceu no Sambódromo do Anhembi no dia 21 de novembro, e conquistou seu primeiro título brasileiro. Em 2019, o piloto havia vencido a Copa do Brasil e sido vice do Brasileiro.

Gus Koch, como é conhecido, diz se sentir honrado em representar Brasília, que conta com outros grandes pilotos, mas muitos não conseguem ter a chance de competir nacionalmente pelo alto custo que demanda. Até por isso, ele pede que os responsáveis tragam competições para o Centro-Oeste, já que quase todas competições são realizadas no Sul e no Sudeste e isso dificulta para os pilotos do DF.

“Espero poder inspirar outros pilotos e ver que mesmo com apenas quatro anos de Drift, é possível chegar lá, andar, treinar e ter bons resultados com muita dedicação e bastante trabalho”, destacou o piloto brasiliense.

Gustavo começou a praticar o Drift como hobby, e a partir de 2017, começou a fazer apresentações em eventos no intuito de poder praticar. Segundo ele, foi o que o fez crescer bastante, além de ter viajado para o Japão com seu treinador André Silva e também para os EUA, onde ele pode se aprimorar e aprender mais perto de Chelsea DeNofa, um dos grandes nomes do Drift mundial.

Também piloto, André Silva foi quem introduziu Gustavo no esporte em 2013, e em 2017, no Mundial no Japão, foi quando o Kock adentrou de vez no meio.

“A evolução de Gustavo foi marcante, com destaque em todas as competições que participou. Hoje ele se consagra com o título brasileiro do Drift 2020”, enfatizou o treinador.

Dificuldades da pandemia

Em meio à pandemia, o piloto buscou continuar praticando, e isso foi essencial para manter o ritmo. “Esse ano começou bastante conturbado, a gente não sabia se teria algum evento ou campeonato para podermos andar, e enquanto muitos pararam, eu continuei buscando continuar afiado com o carro”, contou Gus Koch.

Koch revelou também que quando os campeonatos voltaram, foi mais difícil, pois as competições costumavam ser disputadas durante o ano, e após a flexibilização da quarentena, as etapas foram seguidas, uma atrás da outra, o que acabou aumentando os custos, inclusive com pneus.

O piloto mandou uma mensagem de apoio para aqueles que têm interesse.

Não precisa esperar ter o carro ideal, a melhor condição, o primeiro passo é sempre o mais difícil, quando você entra no meio as oportunidades acabam aparecendo, peças mais baratas, então fica tudo mais fácil quando você realmente se propõe a começar e cair dentro da pista, cedo ou tarde você vai chegar lá.

A prática do Drift

O treinador André Silva conta que o Drift precisa de dedicação, disciplina e muito investimento. Além disso, também destacou que o estudo é sempre importante, principalmente para se manter atualizado tanto no equipamento, quanto nas exigências das competições.

André revelou que o o Brasil conta com algumas escolas de Drift. Em Brasília, ele leciona aulas da categoria, assim como outros pilotos.

“Precisamos de patrocínio. Temos projeto aprovado na lei Pelé, lei de incentivo ao esporte, para a temporada 2021, mas precisamos de ajuda para captar”, apelou o treinador.

Quem tem interesse em praticar o esporte; mas não sabe como começar, pode entrar em contato com o técnico André pelo Instagram @andresilvadrifter, Facebook André Silva, email: andresilva@capitaldriftteam.com.br ou pelo Whatsapp +5561986190160.

João Paulo

Jornalista apaixonado em contar as histórias que o esporte proporciona. Boêmio e torcedor nas horas vagas.

João Paulo tem 24 posts e contando. Ver todos os posts de João Paulo

João Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *