Foto: David Pena

Após calote, jogadoras do Gama terão passagens de volta para casa pagas pelo GDF

Em uma transmissão ao vivo no Instagram da equipe de futebol feminino do Gama na segunda-feira (23), as atletas expuseram uma situação de calamidade que tiveram que driblar desde o início do Campeonato Candango da categoria.

Segundo as jogadoras, a promessa de estrutura, salário e hospedagem prometidas ao chegar na capital do país, não foram cumpridas. “Fomos enganadas e roubadas”, diz um trecho do comunicado.

O alviverde candango deixou os cuidados de gestão nas mãos de um ex-árbitro da Federação, que aplicou um golpe nas atletas, as deixando sem salários e alimentação, e posteriormente desapareceu.

Com a situação instaurada, as atletas viveram longos dias de amargura, tendo que juntar dinheiro para comer e arcar com as despesas, como inscrição na competição, contas de água e luz, e ao mesmo tempo, entrar em campo para defender as cores do Gama.

“Uma pessoa destruiu nossos sonhos. Temos passado momentos difíceis aqui na casa. A gente chegou a jogar com oito, porque ele sumiu com o dinheiro da inscrição das atletas. Tivemos danos físicos e mentais. Muitas vezes ficamos preocupadas se ia ter o que comer antes dos treinos. A gente não sabe para onde ele levou esse dinheiro”, desabafou Ludymila na live.

Apoio do governo

Conforme apuração do portal Metrópoles e confirmadas pelo DF Sports+, a Secretaria de Esporte e Lazer tomou conhecimento da situação e se sensibilizou com o caso.

Representantes da pasta estiveram na residência onde se encontra as atletas, e doaram cestas básicas e mantimentos para alimentação das profissionais. Além disso, foi solicitado perante a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) auxílio para que as jogadores pudessem regressar aos seus lares.

“Chegou nesta quarta-feira (25) a solicitação para a concessão do benefício eventual de passagem interestadual para as atletas”, informou a Sedes ao DF Sports+.

Veja o pedido:

Esporte-pede-para-Sedes-ajudar-time-feminino-do-Gama-1

Com a decisão, as atletas Ludymila Bárbara, Amanda Conde, Jade Cristina, Lorena Gonçalves e Cíntia Silva conseguirão voltar para casa no Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Marcus Rodrigues

Estudante de jornalismo da Universidade Paulista (Unip). Repórter do Metrópoles. Comentarista esportivo. Idealizador da página @capitaldabola_ no Instagram. Repórter do DF Sports+ desde julho de 2019

Marcus Rodrigues tem 95 posts e contando. Ver todos os posts de Marcus Rodrigues

Marcus Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *