Foto: Wilton Queiroz

Com poucos jogadores e sem uniforme, Bolamense estreia com WO na Segundinha

Estádio Rorizão, 15:15 da tarde. O Samambaense estava em campo na companhia do árbitro Leandro Almeida à espera do Bolamense, equipe que se comprometeu a disputar a Segunda Divisão Candanga e lutar por uma das vagas à elite em 2021. Coisa que já havia conseguido em 2017, quando foi campeão da divisão de acesso ao bater o Samambaia na final.

A partida estava marcada para às 15:30, e finalmente o técnico Rogério Cozza adentra o estádio acompanhado de duas dezenas de atletas. Porém, a maioria deles não estava apta a atuar no jogo. Para que tivessem condições, era necessário que seus nomes fossem publicados no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF pelo menos um dia antes do jogo. Mas somente oito atletas foram registrados pelo clube nessa data, sendo que dois deles eram goleiros.

Além disso, o clube não trouxe os uniformes que seriam utilizados por seus jogadores. Um carro foi designado para buscar a indumentária. Às 15:30, o árbitro colocou o cronômetro para correr e aguardou por trinta minutos para que o time apresentasse o “fardamento”, o que não ocorreu.

Quando os uniformes chegaram, a arbitragem já havia decretado o W.O.. O presidente do clube – Antônio Teixeira – ainda se dirigiu ao vestiário da arbitragem para reclamar do prazo exíguo, mas de nada adiantou.

Sub-20

Pelo Campeonato Sub-20, o time também havia se comprometido a disputar o Candanguinho, mas faltou em todos os jogos. A partida de estreia da Onça deveria ter ocorrido no dia 14 de novembro, porém, o clube alegou problemas no sistema da CBF, que teriam impedido o registro dos jogadores. Os dois jogos do grupo A foram adiados para o dia 25, três dias depois de encerrados todos os jogos do outro grupo.

Anunciado no dia 25 de setembro, o técnico Manoel Oliveira até então treinador da equipe de juniores, estava comemorando a oportunidade de comandar os profissionais pela primeira vez. Porém, dia 29 de outubro, o treinador pediria a saída por interferência em seu trabalho. Segundo ele, um empresário de atletas chamado “Sabará” estaria pressionando para que o técnico desse preferência aos seus pupilos. Somente nesta quarta é que foi conhecido o nome do novo treinador do time. Uma rápida busca na Internet dá conta que Rogério Cozza é técnico sim, mas de Segurança do Trabalho, em Campinas-SP.

Histórico pesa

Essa não foi a primeira vez que o Bolamense confirmou participação, e não compareceu aos jogos. Há um longo histórico de problemas estruturais e financeiros que marcam o clube.

O próximo compromisso do Bolamense será contra o Legião, em partida marcada para ocorrer no estádio Abadião no domingo (22) às 15:30. Vários atletas e o próprio treinador do time foram registrados nesta quarta-feira, o que indica que, desta vez, a bola irá ser a protagonista ao invés do clube.

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2518 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Um comentário em “Com poucos jogadores e sem uniforme, Bolamense estreia com WO na Segundinha

  • Avatar
    19 de novembro de 2020 em 09:31
    Permalink

    Esse time, time não, agremiação, tem que ser banida do futebol do DF. Não acrescenta em nada, pelo contrário, só faz os outros passarem vergonha.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *