Arte: André Gomes/DF Sports+

Especial Cerrado Basquete: time se prepara para fazer história no NBB

A equipe do Cerrado Basquete teve sua participação confirmada no NBB 20/21 pelo Conselho de Administração da Liga Nacional de Basquete, no último dia 11 de setembro, por coincidência, no dia nacional do Cerrado. Desde então, passou a anunciar novidades no time, que vem para fazer história e elevar o nível do basquete masculino de Brasília.

Para celebrar a participação histórica da equipe, o DF Sports+ traz um pouco mais sobre a trajetória do time e as novidades para esta temporada.

Histórico

A equipe ainda é jovem, completa neste ano seu quarto aniversário, mas já tem história para contar. O time foi fundado em 2016, e já conseguiu um expressivo terceiro lugar na BRABA, liga estadual de basquete que faz parte da federação de Brasília. O resultado levou o time à Copa Brasil Centro-Oeste 2017, onde conseguiu o inédito título.

Com a taça levantada em 2017, a equipe teve sua vaga assegurada para participar no mesmo ano da Super Copa Brasil, um torneio que dava vaga para a Liga Ouro de Basquete. Após fazer uma boa campanha, o Cerrado acabou em terceiro lugar, e assim, garantiu a vaga na Liga Ouro.

Já em 2018, primeiro ano da equipe candanga na Liga Ouro, o resultado não foi o esperado, mas serviu para aprimorar a experiência da equipe e amadurecer a participação para o outro ano. Em 2019, conseguiu a classificação e chegou às quartas de final, quando foi eliminado pela Unifacisa, campeã daquele ano.

Comissão Técnica

Para comandar a equipe nesse primeiro ano de NBB, o Cerrado Basquete terá a experiência de Bruno Lopes, eleito por dois anos seguidos (2018 e 2019), o melhor técnico da Liga Ouro. Bruno é considerado por vários especialistas um dos melhores nomes da nova geração de treinadores que têm surgido no país.

Ronaldo Pacheco, que treinou a equipe profissional na Liga Ouro, agora será o coordenador técnico da equipe. Ele também foi coordenador educacional das atividades da categoria de base do próprio Cerrado Basquete.

Foto: Divulgação Cerrado Basquete

Renovações e Contratações

A equipe já havia anunciado alguns reforços antes da pandemia, mas com o adiamento da nova temporada, o Cerrado também renovou com quatro atletas do elenco. Os alas Daniel Von Haydin e John Bomfim, e os armadores Lucas Lima e Luis Mendonça seguirão defendendo a camisa do Cerrado, esse último pela terceira temporada.

Além dessas renovações, o time terá 11 novidades, sendo nove atletas novos e dois da base (João Victor, que joga de ala, e Arthur Duarte, que joga de ala/pivô). As novidades do time são: Paulo Lorenço, Sérgio Conceição, Douglas Nunes, Bruno Fiorotto, Alex Doria, JC Fuller, Ambrosino, Kevin Crescenzi, e Henrique Coelho. Conheça agora um pouco mais sobre cada reforço da equipe

Paulo Lorenço: ala/armador, é ex-jogador do Cerrado, e agora volta para a equipe onde se destacou em 2018 jogando a Liga Ouro e sendo o quarto maior cestinha de toda a competição.  Pelo NBB, jogou pelo Basquete Cearense e pelo Pato Basquete. Ao todo, foram 83 partidas na competição, com média de oito pontos e três rebotes por jogo.

Sérgio Conceição: pivô, é considerado uma das maiores promessas do basquete brasileiro. Serjão, como é conhecido, tem apenas 20 anos, e mesmo com 2,08m de altura, é rápido e ataca muito bem o aro. Será sua primeira temporada como jogador profissional.

Douglas Nunes: ala/pivô experiente, teve destaque no Brasil atuando por Pinheiro, Unifacisa e São José, e também passou pelo basquete espanhol, por La Corunã e Mérida. No NBB, tem quase 29 minutos jogados por partida, e média de 11 pontos e cinco rebotes por jogo. Tem como ponto forte os lances livres, com 80% de acerto em seu histórico de jogos.

Bruno Fiorotto: pivô, vem como um dos principais reforços da equipe para a temporada, e tem bom arremesso, tanto de fora como próximo à cesta. Na temporada passada, defendeu o rival Brasília.

Alex Doria: ala/pivô, jogou o último NBB pela equipe do Mogi, atuando por 24 vezes na temporada. Ao todo, teve média de cinco pontos por jogo, além de quatro rebotes.

JC Fuller: ala/armador, foi considerado um dos melhores na última temporada na Argentina, atuando pelo San Martin Corrientes, com uma mpédia de 16,3 pontos, três rebotes e três assistências por jogo. Se destaca pela inteligência em quadra e no ataque à cesta.

Ambrosino: ala/pivô, defendeu o São José na temporada de 2019, onde conseguiu a média de sete pontos, 2,5 rebotes e uma assistência por jogo. Tem bom chute de fora, e ajuda muito na defesa.

Kevin Crescenzi: ala/armador, foi campeão do NBB 11 com o Flamengo. É um jogador de muita dedicação tática e de ótima marcação, será fundamental para ajudar na defensiva da equipe.

Henrique Coelho: armador, vem de um bom NBB pela equipe do Botafogo, onde se destacou com média de 12 pontos, três rebotes e cinco assistências por jogo. Dedicado em quadra, tem bom passe e bom chute nas bolas de média distancia.  

Rômulo Maia

Jornalista e goleiro de futebol. Apaixonado por todos os tipos de esportes e pelo Jornalismo. Defende que as mulheres tenham as mesmas oportunidades que os homens, e que os mais carentes tenham incentivo à prática do desporto. "O esporte é a ferramenta de inserção social mais eficaz, pois o resultado é imediato e as transformações são surpreendentes."

Rômulo Maia tem 282 posts e contando. Ver todos os posts de Rômulo Maia

Rômulo Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *