É Tetra! Brasil vira para cima do México e é campeão do Mundial Sub-17

Foram 21 dias de competição e 24 seleções em busca de um único objetivo: o de campeão e melhor equipe de futebol da categoria Sub-17. No final, sem chances para europeus, asiáticos e africanos. 

No Bezerrão, principal palco do Mundial, os latino-americanos Brasil e México disputaram na noite desde domingo (17) o título da Copa do Mundo Fifa Sub-17. Casa cheia, temperatura amena e muita expectativa por um inédito da seleção brasileira dentro de seus domínios. Ingredientes para uma grande final.

O Brasil jogou melhor durante todo o jogo, mas errou muitos passes e deu abertura para México sair na frente, já no segundo tempo, com González. 

Mas a torcida do DF se fez valer e a força do jovem escrete brasileiro surgiu novamente. Kaio Jorge, de pênalti e Lázaro, viraram no final da partida e garantiram o  título mundial da categoria. No final, 2 x 1 para a seleção brasileira e um tetra campeonato em casa e inédito.

Primeiro tempo morno

As equipes iniciaram a partida trocando passes e buscando encontrar espaços na defesa adversária. O problema é que ambos os times erravam muitos passes no meio de campo, o que dificultava a transição ofensiva de seus ataques.

Nos primeiros dez minutos, além dos muitos erros de passe, a única chegada de mais perigo foi com E. Álvarez, que passou por Henri e chutou fraquinho, nas mãos de Matheus Donelli aos quatro minutos.

A primeira boa chegada do Brasil aconteceu somente aos 11’, quando Peglow arriscou de fora da área, fazendo a bola passar à direita do gol defendido por García. 

Brasil cresce e pressiona

A seleção brasileira começou a entender o esquema de jogo do México, que optava por atacar pelo lado direito de campo. Com isso, o lateral direito Yan Couto explorou bem o seu lado de ataque e, aos treze minutos, cruzou na área para Kaio Jorge, que acabou desperdiçando a cabeçada. Veron, que vinha em velocidade, chutou de primeira, mandando a bola por cima do travessão e assustando s mexicanos.

Três minutos depois foi a vez de Kaio Jorge incomodar a zaga mexicana. Pela esquerda, ele driblou a marcação e encontrou Peglow na entrada da área, que carimbou o travessão e quase abriu o placar. Aos 22’, Veron passou por Martínez e chutou a bola pela lado externo da rede do gol. 

O México só voltou a atacar aos 24’, em cobrança de falta pelo lado esquerdo. Álvarez cobrou bem e a bola passou por cima do travessão, assutando Matheus Donelli. O empate sem gols seguia insistente no placar.

O Brasil tirou o pé do acelerador e o México conseguiu estabilizar as ações de jogo, o que tornou o embate morno novamente. Durante quinze minutos, pouco se viu em campo em termos de criações de jogadas e finalizações a gol.

A seleção canarinho só voltou a atacar com Peglow e Patryck, que fizeram García se esticar para pegar suas finalizações de fora da área, já depois dos 40 minutos. O México respondeu com Munoz, que mandou de fora da área, por cima do travessão.

Após um chute a gol de Veron e uma cabeçada para fora de Daniel Cabral, Andris Treimanis apontou o centro de campo e encerrou o primeiro tempo em 0 x 0.

Segundo tempo

À exemplo da primeira etapa, o começo do segundo tempo ocorreu sem qualquer brilho. Mais uma vez, erros de passe e dificuldade a na criação de jogadas, principalmente por parte da equipe brasileira, que esteve sempre no comando das ações de jogo. 

Somente aos 7’ que o Brasil levou perigo ao gol, em uma bela jogada de Peglow, que pelo lado esquerdo cruzou na área. Kaio Jorge emendou de primeira, mas a bola subiu demais.

O Brasil envolvia os mexicanos e jogava em seu campo de ataque, sem dar espaço para contra-ataque. Mesmo assim, os donos da casa tinham dificuldades para penetrar a área mexicana e, aos 13’, Patryck se viu o obrigado a arriscar de fora da área, fazendo o goleiro se esticar para defender. Três minutos deoois, Peglow bateu cruzado e bola carimbou a rede, mas pelo lado de fora.

Quem não faz

O Brasil pagou caro pelos erros no ataque e de passe. Mesmo atrás, o México chegou ao ataque aos 20’, após equilibrarem a posse de bola e o volume de jogo. O capitão Pizzuto cruzou na área, pelo lado direito e González subiu mais alto que a defesa brasileira para marcar um belo gol para os Mexicanos. A máxima do futebol, infalível que é, se fez valer: quem não faz, leva. México 1 x 0 Brasil.

Dalla Déa apostou em Lázaro, que havia decidido contra a França nas semifinais para o ataque brasileiro. O camisa 20 entrou e aos 30’ teve uma oportunidade de ouro para empatar a partida. Veron cruzou para ele, que chutou de primeira, novamente por cima do gol.

O VAR e uma nova chance ao Brasil

Daniel Cabral tentou de longe aos 35’, após lance de perigo de Lázaro e Veron. Ele mandou da intermediária e a bola explodiu no travessão de García.

No lance, antes da bola chegar em Daniel, o VAR foi acionado e o árbitro marcou penalidade máxima, após Veron ser derrubado na área. Kaio Jorge foi à marca do cal e bateu com força, no canto esquedo do goleiro para empatar a partida: 1 x 1, aos 39 minutos de jogo.

Joia do Santos termina o Mundial com cinco gols marcados. Foto: Divulgação/CBF

 O jogo pegou fogo e a torcida começou a cantar ainda mais alto. Após o gol, Lázaro recebeu cruzamento de Yan Couto e quase marcou a virada. Um momento de ouro para o Brasil.

Lázaro decide mais uma vez: Brasil tetra

O Brasil cresceu novamente na partida e o México recou. Com poucas aberturas do time brasileiro, apareceu novamente o atacante Lázaro. Ele, que havia feito o gol da classificação brasileira para a final, recebeu cruzamento de Yan Couto aos 47 minutos e, sozinho na área, chutou de primeira, sem chances de defesa para García. Golaço do camisa 20. Virada e Bezerrão enlouquecido: Brasil 2, México 1. 

Esse foi o gol do título. Minutos depois, Andris Treimanis apontou o centro de campo. O Bezerrão foi abaixo e o Brasil comemorou aliviado o tetra campeonato invicto no Mundial Sub-17, após 16 anos de espera. O primeiro deles dentro de seus domínios.

Brasília viu a Seleção Sub-17 ser campeã. Será que, em breve, estes mesmos nomes estarão no time principal? Foto: Divulgação/CBF

FICHA TÉCNICA

MEXICO 1 x 2 BRASIL

Copa do Mundo Fifa Sub-17 — Final

Estadio Walmir Campelo Bezerra – Gama-DF – 17/11/2019, 19h

Público Pagante:  11.858 pessoas

Público Não Pagante: 2.686 pessoas

Público Presente: 13.843 pessoas

Renda: R$189.760,00

Árbitro: Andris Treimanis (Letônia)

A1: Haralds Gudermanis (Letônia)

A2: Aleksejs Spasjonnikovs (Letônia)


Quarto Árbitro: Chris Beath (Áustria)

MÉXICO

Garcia; Lara, Gomez e R. Martínez; Guzman, Pizzuto, J. Martínez e González; Luna (El-Mesmari), Munoz (J. Gomez) e Álvarez (Ávila)

Técnico: Marco Ruiz

Gol: González (20’ – 1ºT)

Cartão amarelo: Ávila 

Cartão vermelho: Não recebeu 

BRASIL 

Matheus Donelli; Yan Couto, Henri, Luan Patrick e Patryck; Daniel Cabral, Diego e Pedro Lucas (Matheus Araújo); Veron, Peglow (Lázaro) e Kaio Jorge 

Técnico: Guilherme Dalla Déa

Gols: Kaio Jorge (39’ – 2ºT) e Lázaro (47’ – 2ºT)

Cartão amarelo: Daniel Cabral

Cartão vermelho: Não recebeu

DF Sports+

Mais Esporte, Mais Informação

DF Sports+ tem 381 posts e contando. Ver todos os posts de DF Sports+

DF Sports+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *