Pilots joga bem, mas é derrotado pelo Silverhawks

Na tarde deste domingo (10), no estádio Chapadinha, em Brazlândia, o Curitiba Silverhawks venceu o Brasília Pilots por 38 a 14 e assegurou uma vaga na final da Brasil Futebol Americano (BFA) Feminina. O Pilots chegou a estar vencendo até o intervalo, mas acabou não conseguindo impor um domínio na segunda etapa e saiu derrotado.

O jogo começou de forma inesperada, com o Silverhawks tentando um onsidekick (chute pra tentar recuperar a posse de bola após 10 jardas). O chute acabou sendo recuperado pelo Pilots, que começou atacando no meio do campo. A equipe usou bastante o jogo corrido e até conseguiu o Touchdown, mas a jogada acabou sendo anulada por uma falta, o que fez as brasilienses terem que devolver a bola com um punt.

O Silverhawks, também usando muito o jogo corrido, chegou até a endzone, mas não conseguiu o touchdown graças a boa marcação do Pilots. As donas da casa forçaram o chute de field goal, convertido pela kicker do time na partida, a também ofensive line No. 3 a 0 para o Silverhawks.

No chute de kickoff, o Silverhawks tentou novamente um onsidekick, que outra vez foi recuperado pelo Pilots. A campanha que começou no meio-campo terminou em um touchdown da tight end Betina, que correu para o touchdown após passe da quarterback Thamera. O time tentou a conversão de dois pontos com a running back Thalia, mas não teve sucesso. 6 a 3 Pilots ao final do primeiro quarto.

Segundo quarto

O segundo quarto seguiu com muitas jogadas corridas e menos passes. Mas quando preciso, a quarterback Thamera mostrou técnica e achou bons passes, colocando o Pilots novamente na endzone. Após boas defesas do Silverhawks, a equipe precisava converter uma terceira para 12 jardas. Foi quando Thamera achou a wide receiver Lara na linha de uma jarda. Lara, então, recebeu o passe e entrou na endzone. A equipe ainda conseguiu a conversão de dois pontos com Thamera, o que levou o placar para 14 a 3.

Na jogada seguinte, o Silverhawks conseguiu avançar com boas corridas da quarterback Ester, que começou a aparecer no jogo. Apesar de levar um sack, ela converteu uma terceira descida para 14 jardas e entrou na endzone. Ela mesma chamou a responsabilidade e fez a conversão de dois pontos, diminuindo pra três a vantagem da equipe de Brasília. 14 a 11 no placar e final do primeiro tempo.

Segundo tempo

O segundo tempo começou com o Silverhawks no ataque, usando bastante o jogo corrido, principalmente com a quarterback Ester. A equipe chegou à endzone após recepção e boas jardas ganhas pela wide receiver Jamille. Após três tentativas sem sucesso, a quarterback Ester chamou novamente a responsabilidade e anotou o touchdown com uma corrida pelo meio da defesa. O placar foi a 18 a 14 após extra point convertido por Jô.

Na jogada seguinte, o Pilots conseguiu o touchdown num excelente retorno da wide receiver Lara, mas a jogada acabou sendo anulada por bloqueio ilegal pelas costas no começo da jogada. O time acabou não conseguindo avançar, mais uma vez, devido a várias faltas no lance.

O Silverhawks, já na jogada seguinte, voltou à endzone, outra vez com boas recepções da wide receiver Jamille. O terceiro quarto acabou com o placar em 18 a 14 a favor das visitantes.

Último quarto

No último quarto, o Silverhawks conseguiu o touchdown, outra vez com a quarterback Ester, que conseguiu entrar na endzone e aumentar a vantagem da equipe. Após mais um bom extra point da Kicker Jo, o jogo ficou em 25 a 14.

A equipe do Silverhawks mais uma vez conseguiu o touchdown. Sabe com quem? Ela mesma: Ester! A quarterback correu pelo lado esquerdo da defesa e entrou outra vez na endzone. Após o extra point de Jo, o jogo ficou em 32 a 14.

Em desvantagem considerável, o Pilots tentou buscar diminuir a pontuação, mas o Silverhawks conseguiu uma ótima interceptação com a cornerback Priscila, que subiu muito para segurar a bola e recuperar a posse para a equipe.

A última pontuação da partida veio novamente do Silverhawks. Após boas jogadas corridas, usadas principalmente para fazer o relógio correr, sendo elas principalmente pelo lado esquerdo, a wide receiver Su entrou na endzone e fechou o placar em 38 a 14. O Silverhawks segue na competição, enquanto o Pilots é eliminado.

O treinador Batata comentou sobre a atuação da equipe na partida e no campeonato. “Estávamos bem no primeiro tempo, mas a equipe do Silverhawks ajustou muito bem no intervalo e voltaram melhores que nós. Também tivemos lesões importantes que acabaram nos prejudicando no jogo”, explicou.

“Em relação ao campeonato, tivemos várias jogadoras novatas e que têm bastante futuro, então foi uma temporada bastante positiva. Conseguimos pontuar contra uma equipe que nem havia sofrido pontos até agora no campeonato [o Silverhawks]. Então precisamos pensar de maneira positiva e seguir em frente”, concluiu.

Rômulo Maia

Jornalista e goleiro de futebol. Apaixonado por todos os tipos de esportes e pelo Jornalismo. Defende que as mulheres tenham as mesmas oportunidades que os homens, e que os mais carentes tenham incentivo à prática do desporto. "O esporte é a ferramenta de inserção social mais eficaz, pois o resultado é imediato e as transformações são surpreendentes."

Rômulo Maia tem 406 posts e contando. Ver todos os posts de Rômulo Maia

Rômulo Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *