Mauro Fernandes projeta voos altos para o Brasiliense sob seu comando

Colaborou Olavo David Neto

O casamento que deu muito certo e rendeu o primeiro título candango da história do Jacaré está reconciliado. No último dia 2, o Brasiliense anunciou a volta de Mauro Fernandes ao clube, para sua terceira passagem à frente do comando técnico. Na primeira, em 2004, o treinador conquistou o Candagão e montou a base do time campeão da Série B do Campeonato Brasileiro. Agora, a promessa é devolver à equipe o prestígio e o reconhecimento a nível nacional de outrora.

Natural de Sete Lagoas-MG, o treinador de 66 anos acumula passagens por clubes tradicionais do futebol brasileiro, como Botafogo-PB, Vitória, Fortaleza, Náutico, Santa Cruz, América-MG, Portuguesa-SP e Atlético-GO, equipe pela qual conquistou a Serie C, em 2008.

Usando sua vasta experiência e a boa relação com o time candango, a projeção de Mauro Fernandes é de que ele realize um trabalho que permita o Brasiliense voltar a disputar a Serie A do Brasileirão em três anos. O treinador não sabe se ficará todo esse período no clube, mas assegura que fará mudanças para que este objetivo seja alcançado.

O Jacaré terá quatro competições para disputar ao longo de 2020. Na busca pela montagem de um elenco equilibrado e que não repita as campanhas ruins dos últimos anos, o trinador indicou um nome de confiança para a supervisão de futebol. Trata-se de Rodriguinho, ex-auxiliar técnico de Ricardo Antônio, antecessor de Mauro. “Ele foi meu jogador duas vezes. É daqui de Brasília e estava precisando de uma chance de trabalho. É outra função que ele vai fazer e vai enriquecê-lo muito como pessoa”, destacou o treinador, enfatizando que Rodriguinho poderá se torar um grande dirigente.

A carta branca recebida pela diretoria para montar o elenco e escalar o time sem interferências também é um fator que anima o treinador nessa caminhada de reconstrução de uma equipe competitiva e vencedora. Mauro destaca seu conhecimento sobre o futebol brasileiro e relembra que em 2004 trouxe atletas notáveis ao time amarelo. “Eu fui buscar jogadores pontuais que eu achava que iam me dar resultado dentro do campo. Tanto que eu fui lá na Paraíba buscar o Durval no Botafogo-PB. Busquei o Fabrício no Athletico Paranaense.  Eu vejo o futebol brasileiro de ponta a ponta”, comentou.

Outro ponto que deve ser intensificado é a retomada das categorias de base do clube. Para o treinador, um clube que tem a ambição de jogar a Serie A tem a obrigação de manter forte este departamento. Mauro também lembra que colheu bons frutos com os jovens que trabalhou na primeira passagem. “Em 2004, a gente tinha categoria de base forte aqui. A gente implantou uma base da qual saíram alguns jogadores que atuaram no Brasiliense por muito tempo, como o Padovani e outros”.

A preparação sob a batuta do novo técnico já está em andamento. No próximo dia 17, às 16h, o Brasiliense tem um compromisso diante do Anápolis, no Centro de Treinamento do Galo goiano. Será a estreia de Mauro Fernandes, e teremos uma amostra dessa nova mentalidade que promete revolucionar o Jacaré.

André Gomes

Um apaixonado por esportes (com um carinho especial por futebol, basquete, surf e skate). Defende a ideia de que, por questões éticas, todo jornalista deve revelar o time que torce.

André Gomes tem 25 posts e contando. Ver todos os posts de André Gomes

André Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *