Cerrado Basquete entra na briga para jogar a próxima temporada do NBB

A Liga Nacional de Basquete (LNB) anunciou o fim da Liga Ouro e com isso, a intenção de expandir o mercado do Novo Basquete Brasil (NBB). A ideia é aumentar de 14 para até 20 clubes participantes na próxima edição da Liga, e o Cerrado Basquete está de olho em uma dessas vagas de expansão. A equipe brasiliense já encaminhou o pedido junto à LNB e espera obter uma resposta positiva até o próximo dia 12, fim do prazo estipulado pela Liga  para inscrição.

Visando essa nova fase e os novos desafios na elite do basquete nacional, o Cerrado já articula parcerias e está negociando um patrocínio máster com o Banco de Brasília (BRB). O trâmite da parceria encontra-se em análise pela Superintendência de Marketing do BRB, e o clube aguarda uma posição até o fim do prazo da Liga. Caso aprovado, além de garantir os recursos financeiros necessários para ingressar no NBB, a equipe também terá um novo nome: Cerrado/BRB.

A montagem do elenco também já está com o planejamento em curso. Vários atletas já estão sendo monitorados para formar uma equipe sólida e já se tem um nome certo para assumir o comando técnico, Bruno Lopes, ex-Londrina/PR. “Ele é um rapaz jovem e muito competente, toca um projeto em Londrina bem parecido com o nosso, que se preocupa não só com o alto rendimento, com a formação de jovens atletas e também atuar na sociedade através de um projeto de formação social. Então ele está bem familiarizado com a filosofia do Cerrado Basquete”, Dimitri Rodrigues, presidente do clube ao falar sobre o trabalho de Bruno Lopes.

Como será a expansão do NBB?

13 dos 14 times que disputaram a última temporada já estão assegurados nesse ano. Para completar os 20 clubes a LNB convidou os melhores ranqueados na última Liga Ouro. O Unifacisa, campeão; o São Paulo, vice-campeão e que comprou o Joinville e o Campo Mourão também já estão garantidos, completando 16 equipes.

Vale lembrar que o Londrina terminou em terceiro, mas abdicou de seu direito de participar. Outro ponto de destaque é a participação do Pato Basquete, que terminou em sétimo e comprou a franquia do Instituto Viver (antigo Brasília/Uniceub) assegurando sua vaga. Porém, a LNB pode não aprovar a transação com sua franquia, pois existem débitos trabalhistas do Instituo Viver com alguns atletas, e com isso a equipe ficaria impossibilitada de disputar o NBB.

Caso o Pato consiga ingressar no NBB, restariam três vagas, mas somente duas devem ser ocupadas. O Cerrado Basquete, que terminou em quinto e o Rio Claro/SP, que terminou na sexta posição, são os grandes favoritos para herdarem essas vagas.

A divisão de acesso vai acabar? 

Ficou acertado que a nova divisão de acesso será organizada pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB), porém ainda não se sabe os detalhes de como será essa competição. Portanto, a LNB, que organizava a antiga Liga Ouro, não terá mais nenhuma ligação com as divisões inferiores do basquete brasileiro.  

André Gomes

Um apaixonado por esportes (com um carinho especial por futebol, basquete, surf e skate). Defende a ideia de que, por questões éticas, todo jornalista deve revelar o time que torce.

André Gomes tem 25 posts e contando. Ver todos os posts de André Gomes

André Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *