Jóia candanga é destaque na base do Palmeiras

Nos últimos meses, os nomes de Reinier e Tiago Reis são conhecidos pelos dos amantes de futebol. Os dois são garotos ainda. O primeiro tem 17 anos e o outro 19, mas já estão mostrando futebol de qualidade nos seus respectivos clubes e Seleção Brasileira, que é o caso do Reinier. Além da habilidade incontestável, eles possuem mais uma coisa em comum: nasceram em Brasília.

Reinier Jesus Carvalho está desde 2017 na categoria de base do Flamengo e números que chamam atenção. Pelo clube carioca, ele tem 21 jogos e seis gols, enquanto pela Seleção Sub-15 e Sub-17, nas quais ele atuou em 2017 e 2019, respectivamente, são seis jogos e cinco gols, sendo três deles na competição mais recente. No Sul-Americano Sub-17, Reinier destacou-se entre os companheiros com gols de cair o queixo, apesar do Brasil não ter conseguido a classificação para a fase seguinte pelo saldo de gols.

O jogador do Flamengo marca presença na lista de jogadores rubro-negros inscritos para disputar a Libertadores 2019, mas devido a interdição do Centro de Treinamento do clube para menores de 18 anos (decisão tomada após o acidente com os Garotos do Ninho), o brasiliense está proibido de treinar com o time profissional. Ele terá que esperar pela liberação do CT para ser integrado ao grupo principal do clube.

Por outro lado, Tiago Reis, com seus 19 anos, já está brilhando no time principal do Vasco. Ele passou pelas categorias de base do Goiás em 2016/2017, do Cruzeiro em 2017/2018, até chegar no cruzmaltino em 2018. As atuações nas bases já impressionam o bastante: 23 jogos e 15 gols.

Pela Copa São Paulo de Futebol Júnior 2019, a qual o Vasco disputou o título com o São Paulo, e Tiago foi um dos responsáveis pela campanha do clube carioca, marcou nove gols em nove jogos. Integrado ao time profissional para disputar o Campeonato Carioca, já são quatro gols em seis partidas. Em pouco tempo, o jovem brasiliense ganhou a vaga de reserva imediato no lugar do argentino Maxi López e não vai demorar muito até conquistar espaço entre os titulares.

Jóia candanga do Palmeiras

Endrick Felipe, de Valparaíso de Goiás-GO, tem apenas 12 anos e já conquistou dois campeonatos paulista, duas Copas Bellmare Japão, uma Taça Brasil e, há cinco dias, o Torneio Brasil-Japão, sendo que em quatro dessas competições ele liderou a artilharia. Desde os 10 anos ele veste a camisa do Palmeiras, quando teve de tomar a decisão de ficar no Verdão ou ir para o rival, Santos.

Além dos dois clubes paulistas, o São Paulo monitorou o garoto quando ainda estava no início da caminhada, o Athletico-PR e o Grêmio também entraram em contato para ter a promessa nas suas categorias de base. “A trajetória do Endrick, até chegar no Palmeiras, foi bem intensa”, lembra Douglas Ramos, pai do atleta. A primeira oportunidade apareceu quando o tricolor paulista deu uma chance para o garoto.

“Ele passou na avaliação no São Paulo mesmo jogando com uma categoria maior que a dele. Ele era Sub-8 e os demais eram Sub-10. A partir daí ele começou a ser monitorado pelo São Paulo e duas vezes por ano ele ir para Cotia ser avaliado. Todas as vezes que o Endrick ia para lá, ele precisava estar acima do nível da avaliação anterior”, conta Douglas. Essa monitoração do time paulista durou três anos, até que o clube ofereceu a eles a proposta de ir morar em Cotia. A família do jovem jogador aceitou, mas a quantia oferecida para eles se manterem, não agradou o pai. Não era o suficiente.

“Eles oferecem R$150. Eles não iriam arcar com moradia e nem com emprego para mim, que era o pedido que eu tinha feito para eles. Mas eles falaram que não tinha como. Então, nós acabamos não indo”, afirmou o pai. Depois disso, o Endrick disputou a Go Cup, em Goiânia, pelo Brasília Futebol Academia, que tinha parceria com o São Paulo e representava o clube paulista. Um dos pais dos meninos que jogaram gravou todos os jogos e com esses vídeos, Douglas fez uma compilação dos melhores lances e gols do Endrick.

Foram tantos gols no torneio, que o pai perdeu as contas. “Se eu não me engano, foram 19. Eu coloquei no Youtube o vídeo dos melhor momentos dele em campo e esse vídeo foi parar no Palmeiras e nós recebemos o convite para passar uma semana fazendo avaliação lá. E nós fomos.” Ele conta, ainda, que o garoto já tinha sido aprovado somente pelo vídeo, mas o clube não revelou esse detalhe até o último momento.

Quando eles voltaram da avaliação, o Santos entrou em contato pelo Endrick e a conversa com o Peixe parece novela. O pai do Endrick já havia tentado uma avaliação no clube antes, mas a resposta que obteve do clube foi de que o mesmo não poderia pagar passagem e estadia, que Douglas não tinha condições de financiar. O tempo passou e eles foram atrás do Endrick como se nada tivesse acontecido e ainda negando que já houvesse tido qualquer tipo de contato e oferecendo tudo que Douglas havia pedido anteriormente e eles não aceitaram.

Nesse momento que, o garoto que à época estava com 10 anos, teve de tomar a primeira decisão importante de sua carreira. Continuar no Palmeiras, que abriu as portas e deu a oportunidade que ele precisava, ou ir para o Santos, clube que ele sonhava jogar desde mais jovem. “Ele falou que não queria. Disse ter sido muito bem recebido no Palmeiras, que gostou muito e que, se desse certo, queria ficar no Palmeiras.” Até que surgiu o convite para ir morar em São Paulo e continuar no Palmeiras.

Douglas precisou largar o trabalho que tinha em Brasília, partiu para São Paulo e passou a vender café da manhã no terminal da Barra Funda na capital paulista. “Eu acordava 4h da manhã, fazia o café, esquentava o leite, minha esposa fazia torta e eu ia. Fiquei seis meses vendendo café da manhã”, recorda o pai de Endrick. Até o Palmeiras oferecer um trabalho para ele. Douglas iria compor a equipe de limpeza no Centro de Treinamento do time profissional e assim foi feito. “Assim eu comecei a acompanhar meu filho. Não consigo ir aos treinos, mas vou aos jogos a gente sempre dá um jeitinho de ir”, comemora ele.

Desde 2017, Endrick está firme, forte e crescendo no Palmeiras, com números que o pai tem orgulho de mostrar. Em 2017, ele marcou 66 gols. No ano seguinte, 21, e na temporada atual já soma 14. Na Copa Ouro 2019, Endrick entrou em campo em apenas duas ocasiões e marcou sete gols e, na semana passada, conquistou a Copa Brasil/Japão, o sexto título da carreira.

Nesta quinta-feira, ele estará à caminho da Inglaterra, onde representará o Brasil com a camisa do Palmeiras, na Premier League Sub-14 International Tournament, jogando contra as equipes do Aston Villa, Chelsea, Fullham, Liverpool, Manchester City, Newcastle, Norwich City, Stoke City, Sunderland, Benfica (Portugal) e Hertha Berlin (Alemanha). Certamente, o jovem jogador irá ganhar experiência, atrair olhares e, quem sabe, levar mais um título para casa.

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2843 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

2 comentários em “Jóia candanga é destaque na base do Palmeiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *