É tricampeão! Pelo terceiro ano consecutivo, SeleSAF conquista o Brasileiro

O Campeonato Brasileiro de Árbitros, realizado em Florianópolis-SC, chegou ao fim. E, para variar, a Seleção de Árbitros Federados do Distrito Federal (SeleSAF) triunfou novamente, como em 2017 e 2016. Com isso, o selecionado candango traz na bagagem o tricampeonato do principal certame da categoria. O ápice do feito veio na vitória diante de Minas Gerais, por 0 x 0, na tarde deste sábado (3).

Após se classificar na sexta-feira vencendo Pernambuco na semifinal por um sonoro 4 x 0, a SeleSAF entrou em campo novamente, no Centro de Treinamento do Figueirense-SC, na manhã deste sábado (3). A classificação para a final não foi fácil, com o resultado sendo conquistado apenas nas cobranças de pênaltis (4 x 3), diante de Santa Catarina, donos da casa.

A penúltima batalha

A SeleSAF saiu na frente aos 20 minutos do segundo tempo, com gol do zagueiro Muller Aniceto, um dos destaques do torneio. Porém, no último lance do duelo, SC empatou (1 x 1). Outro herói da partida foi o goleiro Emanoel Ramos, que defendeu duas penalidades, uma durante os 90 minutos de bola rolando e outra nas decisivas, após o apito final.

O combate final

Apenas um desafio separava a SeleSAF de levantar o troféu de campeão pela terceira vez seguida, no Campeonato Brasileiro de Árbitros de Futebol. Seria a vez de derrubar outro gigante, o plantel de Minas Gerais. E assim ocorreu.

A peleja se iniciou às 18 horas e foi emoção do começo ao fim.  Em um campo pesado e molhado por conta das chuvas que caíam em Florianópolis-SC, a seleção brasiliense agarrou-se na imagem de Maguielson Lima para suportar o poderio ofensivo de Minas. No primeiro tempo a equipe mineira pressionou a defesa da SeleSAF, que por momentos se salvou graças à atuação gigante do goleiro.

O arqueiro fechou a porta e impediu que ataques incisivos dos mineiros terminassem em gol. E isso seguiu até o final da etapa. Brasília se defendeu como pôde e não imprimiu um bom volume de jogo do meio para frente, exatamente o que caso da seleção de Minas Gerais.

No segundo tempo, o Distrito Federal esboçou uma pressão e atacou com mais contundência dentro da área mineira. Mas a carta na manga brasiliense foi sacada a 15 minutos do fim da etapa complementar. Almir entrou no lugar de Luiz Paulo Aniceto para gravar seu nome na história do Brasileirão de Árbitros. Seu momento, no entanto, precisou aguardar até o apito que levou a decisão às cobranças de penalidades máximas.

Mas foi na cobrança do mineiro André, onde a bola explodiu no travessão, que os ventos sopraram a favor da equipe do DF. A comemoração de Maguielson foi o tapete vermelho para a cobrança de Almir, que em seguida ao erro de Minas Gerais, mandou a bola dormir nas redes, no canto esquerdo de Lucas. Era o gol do título.

A festa da torcida, jogadores e comissão técnica que celebraram o tricampeonato, foi em uníssono. Os dois títulos que antes abrilhantavam a sala de troféus da equipe, agora recebeu uma nova, importante e inédita conquista na competição. A equipe Brasiliense ainda coleciona também um título da Categoria Veterano, conquistado em 2006.

Por Haland Guilarde e Gabriel Felipe

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2616 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *