Juniores – Projeto universitário cresce e impulsiona Capital

O Capital Clube de Futebol nunca teve vida fácil no futebol de Brasília. Fundado a partir do Maringá (que já era uma dissidência de dirigentes do CR Guará), a Coruja do DF sempre foi marcada por seus altos e baixos. Disputou a Primeira Divisão em 2006, 2012, 2013 e 2014. Em 2017 decidiu fazer parceria com o Desportivo UnB, projeto universitário da instituição federal destinado a disputa de competições universitárias.

O próprio crescimento do Desportivo UnB acabou passando pelas mãos de Hugo Almeida, ex-jogador revelado na base do Legião e que jogou no Gama, Suécia e no Ceilândia. Desiludido com o futebol, Hugo decidiu trocar a bola pelos livros. “Larguei o futebol em 2013 e fiquei meio que desencantado com bola devido à diversas coisas que são feitas de modo errônea no meu ponto de vista, algumas pequenas corrupções que me fizeram perder o encanto pelo futebol. Entrei para a UnB e por ter pego uma “raivinha” do futebol, investi no Fitness” disse.

Para ganhar um “extra”, Hugo acabou entrando no time de Futebol da Universidade. Alguns meses depois de com a saída de dois técnicos, veio o convite para que ele comandasse o time. Mas para a surpresa da instituição, ele recusou. “Para complementar a minha renda, acabei entrando para o time de futebol da UnB para ganhar o Bolsa Atleta. Depois de seis meses aqui treinando, o treinador daqui recebeu proposta e foi trabalhar na China (Renato Vieira). Quem assumiu foi o Marcos Carvalho, que depois de um mês foi trabalhar nos Estados Unidos. Aí o time ficou sem ninguém pra assumir. O pessoal da Diretoria de Esportes da UnB sabia que eu já tinha jogado no futebol de Brasília e me fizeram convite para ser treinador. À princípio eu não aceitei, não queria à aquele patamar mais sério do Futebol”.

A coisa mudou de figura após um fato que quase terminou em tragédia. Após sair de Goiânia para ver uma partida do Gama, Hugo foi vítima de um acidente de carro no retorno ao DF. O episódio o fez rever alguns conceitos e aceitar o convite. “Estava voltando depois de assistir um amistoso entre Gama x Vila Nova (na verdade, Aparecidense) e a gente sofreu um acidente na volta. Esse acidente me deixou com sérias reflexões. Eu passei a pensar o que estava fazendo da minha vida e me fez pensar se o que estava fazendo me deixava feliz. Aí foi quando eu pense e resolvi assumir o cargo de treinador”.

Técnico Hugo Almeida ao lado de sua Comissão Técnica. Foto: Gabriel Caetano/ASCOM CapitalCF

Sob o comando de Hugo, o time passou a levar o futebol a sério e após alguns amistosos viu-se ali o potencial de subir de patamar. Foi aí que viria a parceria com o Capital. “Fizemos propostas para dois clubes e o (Ademilton) Pavão soube e veio atrás de nós. Entramos em acordo e ficou aquele contrato de parceria para a Segunda Divisão. Se a gente fizesse um bom trabalho a gente permaneceria na gestão”. A campanha na segundinha não foi boa (apenas uma vitória em cinco partidas), mesmo assim o vínculo foi extendido para o Campeonato de Juniores desse ano, podendo ser ampliada para a Segunda Divisão.

A montagem do elenco começou em janeiro deste ano após uma “peneira” realizada na UnB. Para fazer a avaliação do trabalho, o Capital disputou a Copa Novos Talentos, um Campeonato organizado por terceiros e sem vínculo com a Federação. O resultado foi acima do esperado: o Capital passou por todas as etapas e está na final do torneio.

O grupo atual do Capital/UnB é formado por 30 atletas sendo que 5 estão em observação. Nascidos entre 99 e 2002, a maioria dos atletas são oriundos de Brasília como Sobradinho, São Sebastião. Ano passado, o Capital disputou o Candanguinho por outra parceria e acabou eliminado na primeira fase. Graças à parceria com a UnB, Hugo Almeida possui muitas pessoas dedicadas à auxiliar o seu trabalho na equipe: Mateus Silva e Pedro Victor (Auxiliares Técnicos), Thiago Assis e Marcus Vinícius (Analistas de Desempenho), Diemerson Dutra (Preparador Físico), Gabriel Ribeiro (Preparador de Goleiros), Bruno Rodrigues e Ícaro Martins (Fisioterapeutas), Lucas Carvalho e Hugo Pinho (Psicólogos) e Michael Almeida (Gerente de Futebol).

O elenco treina três vezes por semana no Centro Olímpico da UnB localizado na Asa Norte. Hugo Almeida falou sobre o que espera desta disputa do Campeonato Candango de Juniores sob seu comando. “Eu espero surpreender. Planejei a disputa desse Candanguinho desde o ano passado, como a questão do elenco, comissão técnica…e tudo que planejamos nós conseguimos executar. E nesse período de preparação a gente superou as expectativas, esperava chegar nas quartas (da Copa Novos Talentos), chegamos na final e podemos ser campeões. Então, nosso time está praticamente formado, falta um ou outro jogador. Como são duas vagas, uma eu posso conseguir” disse.

O Capital estreia no Campeonato Candango de Juniores dia 19 de maio contra o Ceilândia, provavelmente no CT Ninho do Periquito. O horário ainda não foi definido.

Por Marcelo Gonçalo

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2846 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *