Brasiliense se reapresenta sem novidades para a Série D

A manhã desta quarta-feira (11), foi foi reservada para a reapresentação no Brasiliense. Após a perda do título candango para o Sobradinho, no último final de semana, a equipe amarela voltou aos treinamentos visando a estréia no Campeonato Brasileiro da Série D 2018. O Jacaré viaja para o Mato Grosso, para enfrentar o Dom Bosco-MT, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

O clube volta a disputar a Quarta Divisão do futebol brasileiro depois de quatro anos de ausência: a última vez que o time amarelo disputou a competição nacional, acabou eliminado em casa de forma traumática pelo Brasil de Pelotas-RS, em 2014 (curiosamente, nos pênaltis).

A diretoria do Jacaré não apresentou novidades para a reapresentação. Toda a comissão técnica foi mantida, assim como a quase totalidade do elenco. Apenas dois atletas não se reapresentaram: os atacantes Reinaldo e Romarinho, que devem voltar em breve ao elenco. O zagueiro Wallace e o meia Souza ficaram entregues aos cuidados do Departamento Médico. Segundo informações da própria diretoria, quem deverá deixar o elenco em breve é o atacante Bruno Mota. Pouco aproveitado pelos treinadores, o jogador deverá se transferir ao América-RJ, para a disputa da Segunda Divisão carioca.

Segundo a equipe de reportagem do DF Sports apurou, o lateral esquerdo China, que atuou como meia-atacante no Luziânia-GO durante o Candangão 2018, pode ser o próximo reforço do time para a Série D. O negócio ainda não teria sido finalizado em virtude de outra proposta feita ao atleta.

Mantido no cargo, o técnico Ailton Ferraz falou com exclusividade ao DF Sports sobre a perda do título candango para o Sobradinho, no último sábado. Para ele, a equipe foi prejudicada pela arbitragem que anulou um gol legítimo do Jacaré. E que a equipe ainda está abalada pela derrota. “O objetivo maior era garantir o calendário, mas é claro que fica na garganta a gente não ter conquistado o título. Respeito muito a equipe do Sobradinho, mas não poderia deixar de falar da arbitragem, do bandeirinha especialmente. Era um gol legítimo que mudaria o jogo. Para o Brasileiro, a gente está juntando o grupo de novo, que ainda está um pouco abalado. Creio que na semana que vem a gente já precisa mudar esse foco” ponderou.

Ailton comanda seu primeiro treino após o fim do Candangão, onde a equipe chegou à final. Foto: Marcelo Gonçalo/DF Sports

Sobre o elenco, o treinador amarelo confirmou que deverão haver mudanças. Reforços deverão chegar para buscar um perfil mais “cascudo” à equipe candanga. “É lógico que a gente está buscando contratações. Não é fácil, a gente precisa preencher o grupo. Nós tivemos muitos pontos positivos, mas também alguns negativos que a gente vai tentar ajustar para a Série D. É uma competição forte, onde você precisa mudar a compostura do atleta e o perfil do grupo para que a gente possa buscar a classificação. A técnica sempre ajuda, mas é preciso um grupo de guerreiros para subir a equipe” discursou Ailton.

Mirando o próximo desafio de sua equipe, o experiente treinador afirmou já estar estudando a agremiação mato-grossense do Dom Bosco, nona colocada no campeonato estadual desta temporada e já rebaixada para a Segunda Divisão. “Já pegamos alguns jogos deles, para a gente ter uma noção total. Não é uma equipe fácil, tem muitos jogadores jovens e alguns mais experientes. É um time de transição rápida. A gente vai ter que jogar forte, marcar bem e ter muita atenção o tempo todo. Se a gente conseguir isso, temos chance de vencer lá”, explicou.

O sentimento amargo provocado pela perda do Candangão é compartilhado também pelo meia Felipe Cirne. O jogador que foi o autor do gol mal anulado pela arbitragem disse que o grupo agora precisa mudar o foco para a Série D. “Fica uma dualidade, né? Ao mesmo tempo que passou, a gente tem que estar focado na série D, esse gosto amargo de perder um título como foi não vai sair da cabeça tão cedo. Mas isso não vai atrapalhar o nosso trabalho”, lamentou a parde do troféu.

Cirne continuou analisando o plantel e explicando que o Brasiliense pode sim alcançar o acesso. “A gente tem um excelente grupo e totais condições de brigar por uma vaga para a Série C. Com certeza podemos subir. Joguei dois anos seguidos pelo Ceilândia e por detalhes a gente não conseguiu o acesso. Então, com uma camisa maior como a do Brasiliense, a gente tem mais condição”, vislumbrou o meia-atacante.

Pelo Campeonato Brasileiro da Série D 2018, Dom Bosco-MT e Brasiliense se enfrentam no dia 22 de abril, às 17 horas, na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT. No dia 28, o Jacaré recebe o Iporá-GO, no estádio Mané Garrincha, pela 2ª rodada do torneio. A equipe treina em dois períodos até o próximo sábado, sem previsão de amistosos.

Por Marcelo Gonçalo

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2444 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *