Deficientes intelectuais praticam tênis em Brasília

*Com informações da assessoria de imprensa

Foto: divulgação

Uma ação inovadora utiliza a filosofia e a prática esportiva do Tênis de quadra como atividade complementar ao tratamento direcionado aos portadores de deficiência intelectual, com vistas, também, à sua inserção social. À frente do Projeto Tô No Jogo está uma das melhores tenistas profissionais do Brasil, a brasiliense Cláudia Chabalgoity, campeã brasileira, sul-americana, Pan Americana e quinta melhor do mundo juvenil e detentora de diversos outros títulos importantes.

Ela coordena, em Brasília, as atividades de uma equipe multidisciplinar composta por professores de tênis e beach tênis, profissionais de práticas integrativas, psicólogos, pesquisadores e outros especialistas. As aulas acontecem às 2ªs e 4ªs feiras na ASSEFE – Associação dos Servidores do Senado Federal e conta com patrocínio do BRB – Banco de Brasília.

Indicado para portadores de autismo e Síndrome de Down
Projeto Tô No Jogo é indicado para crianças, jovens e adultos diagnosticados com o Transtorno do Espectro Autista – TEA, Síndrome de Down e outras deficiências intelectuais. Os aspectos físicos e emocionais de cada aluno são acompanhados pelos profissionais, que, inclusive, prestam orientações às famílias dos participantes.

Projeto consolida o Tênis como “Integrativo”

Como a equipe multidisciplinar reúne profissionais da Psicologia e de Práticas Integrativas, o Projeto auxilia o aluno a identificar suas necessidades, de modo a promover o autoconhecimento e abrir caminhos para o alcance de um estado de harmonia, equilíbrio emocional e, consequentemente, a melhora do desempenho, dentro e fora das quadras.

“Nosso projeto estabelece o tênis de quadra como ferramenta de autoconhecimento através do esporte verdadeiramente Integrativo para esses alunos, e é com muita satisfação que participamos do Tô No Jogo”, resume Chabalgoity. Ela se baseia no entendimento de que o corpo sinaliza posturas emocionais que podem ser identificadas e trabalhadas de modo integral, corporalmente, mentalmente e emocionalmente. “Assim, o projeto propõe um olhar individualizado para o aluno, a partir de um refinado trabalho de observação durante as práticas desportivas do tênis e do beach tênis”, completa.

“Temos conseguido bons avanços junto aos nossos alunos, como os próprios pais podem acompanhar. Cada vez que uma dessas pessoas consegue atingir uma meta, como: se expressar oralmente, reagir às jogadas e interagir com outras pessoas, constatamos que estamos no caminho certo”, celebra.

Apoio da APAE

A APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Guará (DF) é parceira do Projeto e encaminha alunos para as aulas, assim como outras entidades. A expectativa é que novas unidades da APAE também se engajem ao Tô No Jogo.

Famílias de baixa renda podem participar do projeto gratuitamente. O transporte e o material da aula são cedidos, assim como o acompanhamento individual dos profissionais.

SERVIÇO
Projeto Tô No Jogo
2ªs e 4ªs feiras
Local: ASSEFE – Setor de Clubes Sul, Trecho 1, Conjunto 1, Lote 7

Marcelo Gonçalo

Formado em Sistemas de Informação, optou pela carreira de Jornalismo a partir de 2008. Jornalista, comentarista e narrador esportivo, foi o principal repórter do site BloGama até 2018.

Marcelo Gonçalo tem 2841 posts e contando. Ver todos os posts de Marcelo Gonçalo

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *